quinta-feira, 30 de abril de 2015

Amargo Despertar

Há 12 anos que não sei o que é existir sem você. Por mais que não  estivéssemos próximos fisicamente, você esteve, em cada momento nesses doze anos, dentro de mim. Cravado no meu coração tal qual jóia rara. Um diamante abrilhantando meu interior.
Há 12 anos tenho um sonho. E nesses doze anos a única certeza que tive, é  que no final de tudo estaria com você.
E quão feliz eu fiquei quando te reencontrei meu amor, por mais difíceis que fossem os dias, quando te abraçava e te beijava e sentia seu cheiro e olhava em seus olhos, o mundo podia acabar. Nada mais importava.
Há 12 anos que cresce dentro de mim um sentimento feito árvore... enfrentando verões, invernos, outonos e primaveras. Às vezes opaco, noutras brilhante, mas com uma raiz cada vez mais profunda.
E como agora poderei tirar isso de mim? Como conseguirei? Impossível! Suas raízes se amarraram tão  fortes às minhas que para conseguir tirá-lo daqui de dentro terei que amputar membros, órgãos, e até mesmo parte de minh'alma.
Não, não era perfeito. Não  era como no sonho. Não  era como brincar de casinha. Mas era você  e eu. E nada mais importava.
O que eu faço agora? Pra onde correr? Para quem gritar quando essa dor apertar?
Em qual colo buscar aconchego quando sentir falta do teu aconchego? Qual boca beijar se o sabor que eu gosto é  do teu beijo? E quando eu precisar do teu cheiro pra me acalmar, qual será o cheiro capaz de reproduzir meu nariz nos teus poros, na tua pele?
E quando eu acordar e perceber que aquele sonho acabou, que me resta uma parte de mim, uma ínfima parte que nem sei pra que serve sem você. Quem será  capaz de fazer com que minhas lágrimas parem de escorrer?
Doze anos perdidos? Doze longos anos de um sonho que acabou. Quem foi o culpado por acender a luz e me chacoalhar freneticamente até  que meu sonho se esvaisse no horizonte?
Não posso te pedir nada meu amor. Não posso pedir mais nada. Agradeço por ter sido um lindo sonho durante 12 anos, o mais forte que já tive até  hoje. Agora me resta parar de cair. Nesse buraco que se abriu sob meus pés. Tentar enxergar algo nessa escuridão que tomou conta de minha vida desde que você  se foi.
Me desculpa se não  consegui ser o que você  desejava a ponto de você não me querer mais. Você também não  era exatamente o que eu gostaria que fosse, mas eu estava me esforçando tanto pra te aceitar como você  é. E mesmo assim eu não sei viver sem você. Sem esse sonho que há  doze anos brilha dentro de mim.
Agora só  sobrou escuridão e medo.