quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Analisando I

Então a questão é desaprender para aprender. Preciso desconstruir o entendimento do meu eu para conseguir enxergar de que realmente me faço.
Em que me apoio? Quais são minhas bases? Qual é o embasamento teórico que guia minha vida, meus projetos, minha personalidade?
Espero que ao conseguir identificar este ponto se torne mais fácil enxergar meu espelho sem os reflexos do mundo externo.
Como enxergar o espelho da alma? Como reconhecer-se a si mesmo sem a influência de toda a bagagem pendurada nos ombros? Como, afinal, despir-se e enxergar apenas o ser, o eu?

Postar um comentário