terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Insanidade


   Ás vezes é assim mesmo, ficamos sem saber direito o que acontece. Eu, por exemplo, hoje recorro à minha insanidade para aquietar a mente. Insanidade assumida, que tiro do armário e declaro ao mundo de boca cheia. Normais... ah, vocês são tão estranhos.
   Querem saber tudo sem conhecer nada. Quando se tem uma cabeça turbulenta como essa que carrego com tanta dificuldade, não se encontram saídas claras, caminhos limpos, passagens abertas. Tudo é complicado e intranquilo.
   E para complicar um pouco mais, em meus momentos de estranha frieza, de isolamento involuntário, tento definir os motivos que me deixam nesse estado, em vão. Nunca consigo saber o porquê de estar assim. Só me resta a incompreensão. Pior ainda quando me pedem explicações. Ah, pobre de mim! Se nem mesmo a minha mente é capaz de entender-se, quanto mais explicar ao mundo externo a correria que é aqui dentro.
  Aqui as perguntas misturam-se aos potencializadores de insanidade. Então imaginem, quão pior vai ficando a situação em cada nova argumentação. As interrogações entram pelos ouvidos, e seguem ligeiramente como flechas em direção à massa encefálica. Penetram cada célula tal qual dolorosas injeções perfurando a derme e camadas adiante. E enquanto tudo isso se passa, do lado de fora as coisas correm em outro ritmo; em outro tempo. E enquanto o tempo se vai. Passo os dias acreditando que isso um dia vai mudar e as coisas voltarão pro lugar.

domingo, 30 de novembro de 2014

Começo com Mas...

",mas sabe o que penso..."
E ao pensar nisso lembro do professor Sandro que sempre me dizia que uma frase não pode começar com "Mas".
Mas sabe o que penso? Minhas palavras são resultado de meus pensamentos, e meus pensamentos são ininterruptos.  O "Mas" é utilizado para dar continuidade a algo que já foi dito. Neste caso faço uso desta palavra para continuar meus pensamentos. E quando escrevo, o começo do texto é a continuação dos pensamentos.
Eu sei, eu sei, os leitores precisam conhecer o assunto para conseguir entender o texto. Porém, ao começar a escrever usando o "Mas" quero deixar claro que o importante é o que vem depois e não o que pensei antes.
Complicado?
Vamos pensar assim:
Digamos que eu tenha pensado algo sobre borboletas, e deste pensamento veio outro a respeito de suas cores, e das cores pensei em como elas ficariam bonitas em um desenho.
'Mas sabe o que penso? se soubesse desenhar com as técnicas e habilidades de um artista conceituado, faria eu belos desenhos e quadros e pinturas. Não pelo fato de ter as técnicas e habilidades de tal artista, mas por saber expressar o que se passa em minha cabeça utilizando as belas cores de uma borboleta por exemplo.'
E ao ler estas linhas, o leitor entenderá o importante, que é o fato de saber desenhar ou não e mesmo sem o conhecimento do pensamento inicial ele consegue entender o que quero dizer e captar a ideia das cores da borboleta em uma arte.
Tudo bem, talvez eu esteja errada. Mas para mim é aceitável começar uma frase com "mas", afinal de contas tantas regras de gramática só nos fazem enjaular os pensamentos com medo de dizer errado o que se quer dizer.
Desculpem-me os gramáticos e críticos literários.
Mas entende o que quero dizer?

hahahahahahahahahahahahahahahaahahhahahahahahahahaha...

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Canção de Amor

Queria mesmo era estar guardada debaixo da barba quente de meu amor.
Ah, quem dera eu pudesse dizer seu nome, deitar em seu colo e ganhar seu amor.
Queria tanto o cheiro de sua pele, grudada em meus poros, entrando nas narinas e me embriagando de prazer.
Queria suas mãos calejadas, seus ombros marcados, seu peito forte, me guardando e sendo meu norte.
Ah, quem dera pudesse dizer o seu nome, deitar em seu colo e ganhar seu amor.
Então eu seria feliz e tão intensamente que nem mesmo uma corrente explodindo em minhas costas calaria minhas respostas ou me faria sentir dor.
E então eu seria tão leve que n'um instante breve eu poderia voar. Mas como será?
Sem suas mãos a me guiar, seu olhar a me acolher e se nem seu corpo de meu pouso posso fazer?!
Ah, quem dera pudesse dizer o seu nome, deitar em seu colo e ganhar seu amor.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Analisando I

Então a questão é desaprender para aprender. Preciso desconstruir o entendimento do meu eu para conseguir enxergar de que realmente me faço.
Em que me apoio? Quais são minhas bases? Qual é o embasamento teórico que guia minha vida, meus projetos, minha personalidade?
Espero que ao conseguir identificar este ponto se torne mais fácil enxergar meu espelho sem os reflexos do mundo externo.
Como enxergar o espelho da alma? Como reconhecer-se a si mesmo sem a influência de toda a bagagem pendurada nos ombros? Como, afinal, despir-se e enxergar apenas o ser, o eu?

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Sonhos de borboleta...

E se pôs de borboleta. Abriu suas asas o máximo que conseguiu. A ponto de quase tocar o céu. Respirou fundo. Esperou... um minuto, dois, mais alguns e, então... Uma suave brisa tocou seu rosto. O sol beijava o horizonte. Ela sabia, era o momento. Começou a mover as asas vagarosamente e aos poucos pôs-se a voar.
Era um sonho alvo, havia ternura em seu olhar. E estava tão bela, que mesmo ela sentiu que havia algo diferente em seu volitar.
Sua alma, se existisse afinal, parecia não estar dentro dela. Sentia como se alma voasse acima e aquela menina borboleta pudesse observar o mundo duas vezes em uma só. Enxergava o que viam seus olhos, mas também o que sentia sua alma. Era uma sensação incrível.
O céu estava lindo, limpo, de um azul infinito, como se o Deus tivesse escolhido o cenário perfeito para aquele momento. E foi com efeito que tudo aconteceu. Por um momento sua vista escureceu e ao voltar todos os sentidos estavam aflorados. Sentia o ar que entrava em seus pulmões. Ouvia cada som, movimento. Seu coração, ah, esse parecia bater cada vez mais forte até explodir. E então já não sentia mais o coração... Sentia agora o vento passando por sua alma, observava suas asas subindo e descendo calmamente...

Continua...



quinta-feira, 10 de julho de 2014

Viagem e Vaga Música

Quem me conhece sabe que amo duas poetas (não gosto de poetisa) em particular: Clarice Lispector e Cecília Meireles.  Porém, sempre me identifiquei mais com a Clarice.  Não sei por qual motivo eu achava que a Cecília era mais infantil,  uma poesia estilo "Castelo Ra Tim Bum" aquelas que o gato lia para as crianças.  Até que esses dias, em meio a monotonia que me consome, enquanto eu vagueava pela casa me deparei com este livro.
"Viagem e Vaga Música"
Confesso que não sou muito de ler poesias. Sempre preferi os romances. Mas a capa do livro me chamou a atenção, dei uma folheada e escolhi uma poesia aleatoriamente. Parei na página 77, "Fadiga". Foi como se ela simplesmente tivesse lido minha alma e depois disso não desgrudei mais.
Repensei toda minha visão sobre Cecília Meireles e recomendo aqui este livro.
A edição que eu eu tenho é da Fundação Nestlé Cultura. Leiam. Vale a pena.
Bjinhos e até a próxima.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Que o Deus Venha

Essa música "Que o Deus Venha" surgiu do livro "Água Viva" da Clarice Lispector. Cazuza e Frejat musicaram um trecho do livro, com pouquíssimas adaptações na letra. Em 1986 lançam o álbum "Declare Guerra", tendo como faixa 10 a poesia de Clarice musicada.

Hoje, é minha música de cabeceira. Espero que gostem!

domingo, 6 de julho de 2014

Mutações

De ausências me faço neste momento.
Ausência de mim... de ti, de tudo.
Uma constante angústia corroendo o estômago.
O que fazer? Pra onde correr? O que gritar?
Quero gritar... mas não sei o quê.
Tanta falta de algo que nem sei o que é.
Cansei de me enganar.
Transfiguro-me novamente. Existo em outro ser.
Tento transformar...

quinta-feira, 3 de julho de 2014

La Bella Luna

Não Mais.

Cansei de beijos sujos...
Cansei de bar em bar...
Chega de beber... chega de fumar.
Cansei de palavras torpes....
Palavras tortas.
Tantas emoções... todas ilusionadas.
Versos da madrugada. Conversa de balcão.
Sonhos... tolos passageiros....
O trem da vida vai.
Cansei de gastar tempo em nada.
Cansei da mesmice.
Preciso me inovar.

sábado, 21 de junho de 2014

Rock 'n' roll de qualidade.


Boa tarde a todos.
Frio né? rs.
Eu estava estudando, fui colocar uma musiquinha de fundo e resolvi dar uma passada aqui pra fazer um pequeno merchandising. Eu voltei a morar em Boituva, a cidade que passei a maior parte da minha vida, há quase um ano. Aqui reencontrei o rock! Como estava morando na praia, confesso que acabei me rendendo ao funk...  "Boituva - Capital Nacional do Paraquedismo!"  Boituva, terra de Rock n Roll. No Centro de Paraquedismo tem um bar o Wash Rock Bar. que é restaurante de dia e de noite trás as melhores bandas de rock da região. Entre elas, tem uma que sou fão incondicional desde a primeira que os vi tocando: 
Los Calangos: Bill, Tango and Jack
Imagina a cena. A vida toda eu amei rock. Em todas as vertentes, quem me conhece sabe disso. Depois de morar 3 anos na praia, onde só se ouve funk e forró (e mesmo quando eu ouvia meu rock n roll no quarto, me olhavam como se eu fosse um et).Volto pra Boituva e vou dar uma volta com a minha amiga num sábado a noite, ela me levou no Wash em um show dos "Los Calangos", que eu sempre ouvia falar e ainda não conhecia. 
Quando eu ouvi eles tocando, até me emocionei... 
Rock n roll!!! de verdade... de qualidade... O Bom e Velho Rock N Roll... 
No mesmo momento eu passei a divulgar os caras pra quem quer que fosse. Todo mundo que me conhece hoje sabe que sou fã de Los Calangos, rs 
A qualidade do som... A seleção de músicas. Hits dos anos 60, 70 80, 90 e também músicas atuais atraem todas as idades e fazem ferver as noites mais geladas de Boituva. Todas as pessoas que eu levo pra conhecer o show deles, mesmo que não goste de rock, passa a gostar. Enfim
Como eu sei que só falar não adianta, vou provar pra vocês! rs... 
Vou colocar duas versões. A primeira ao vivo, e a segunda acústico. Nenhuma das duas é no Wash, mas as duas são muito boas.



Gente...desculpa invadir a tarde de vocês com um comercial. Mas, como o blog está meio desatualizado, eu ia colocar um vídeo, daí fui escutar Calangos e resolvi dar uma divulgada. 
Preciso voltar a estudar. Essa vida de criar jogos é muito complexa. rs. Ter que aprender a usar 3 programas nas férias é mais ainda...hahaha... Boa tarde a todos. Obrigada pelas visitas. Café com rosquinhas de canela para vocês... hehehehe.



segunda-feira, 7 de abril de 2014

Prazeres e sabores...des... sabores

Neste momento, após um saboroso almoço, me alegraria muito um cigarro. Felizmente, ou infelizmente - jamais saberei - não fumo mais.
Neste momento me alegraria uma boa taça de vinho. Mas tenho que voltar ao trabalho e as normas de conduta não me permitem.
Neste momento me alegraria imensamente uma conversa gostosa com amigas queridas, estão todas longe. Alegraria-me também um abraço caloroso de um alguém amado. Só que afastei-me de qualquer possibilidade de um alguém para chamar de meu com minha insensatez e inconstância que fazem de mim cada dia mais solitária.  Fico então com chocolates, a alternativa que me sobra para acalmar esse coração inconveniente que insiste em me furtar a calma e jogar-me num oceano de devaneios.  Oh, tola que sou. Insisto em permanecer assim. Mesmo sem querer. Nao posso mudar esse meu ser que de tropeços segue caminhando. Lutando para encontrar um rumo em meio à escuridão, que cega meus olhos e me enche a mente de ilusões. Oh, tola que sou. Oh, pobre de mim...

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Baixinha

Me desculpa invadir assim a sua vida, sem pedir autorização ou mesmo licença. Mas é que um pedaço seu surgiu por aqui da mesma maneira e mudou completamente o rumo da minha vida. Desculpa se eu invadi o seu espaço, minha intenção nunca foi essa e me afasto o quanto achar necessário para a boa convivência.  Minha liberdade termina onde a sua começa. 
Concordo que se preocupe, e digo ainda que se qualquer atitude minha fizer mal aos seus e/ou a você,  me afasto no mesmo instante.
Só peço que não julgue o livro pela capa. Trago por fora uma armadura para o mundo e o dia a dia. Sou feia, atrapalhada, descabelada, baixinha, gordinha, mas carrego aqui dentro disposição para o bem. Que não pareça pretensão,  mas a vida é corrida demais para perder tempo causando o mal para quem quer que seja. Antes de fazer mal a alguém,  pego minhas coisas e saio de cena.
Acontece que esse pedacinho teu, que chegou de mansinho, mudou minha história,  e tornou-se especial tem sido um anjo em minha vida.  Como um presente de Deus. Cada segundo ao seu lado me preenche de um sentimento de paz.
E só você que é a dona desse pedacinho, que tem a maior ligação possível com ele, é capaz de me fazer perder tudo isso ou de permitir que eu sinta essa paz por mais tempo, pelo tempo que ele quiser.
Por favor, tente me conhecer antes de qualquer coisa. Não olhe apenas a poeira que cobre meu corpo. A estrada é longa, mas o aprendizado é maior. Faço ainda um juramento. Jamais farei qualquer mal ao seu menino. No que depender de mim ele só progredirá. Gosto demais dele independente de tudo de ruim que me falaram, porque você deve saber melhor que eu que a fama não é muito boa, rs. Eu nunca me importei com o que falam, eu vejo apenas o que ele é comigo e até hoje não tenho o que reclamar, ao contrário,  tenho apenas elogios.
Peço do fundo do meu coração que por favor não o afaste de mim. Ele está se tornando cada dia mais importante. Não me tire essa bênção que Deus colocou no meu caminho.
Obrigada.
Ligia Montagna.