terça-feira, 4 de junho de 2013

Em pensamento

Talvez seja só eu que esteja sentada na frente do computador na véspera do feriado.
Provavelmente não, mas nunca se sabe.
O ar parece mais leve, mais calmo.
 A tempestade cessou. Agora a calmaria.
Aquela em que se respira fundo
E o ar flui facilmente.
Uma música antiga para tocar lá dentro sua criança
interior.
Tudo bem, nem tão inocente assim, mas Ramones não é o extremo da agressividade também.
Arruma a postura,
estala as costas,
 o pescoço,
começa
 a escrever
 em pensamento.
Quando as palavras chegam assim é um problema.
E eu tenho o péssimo hábito de não carregar comigo papel e caneta
(que não me ouçam os verdadeiros escritores).
Elas chegam correndo, em pensamento,
 e quando você vai pegar algo para escrever,
...
...
elas fogem.
Gostaria muito de ter um botão de gravador embutido na palma da mão,
 assim quando a mente começasse a florear  ...-¨¨-.... 
seria só apertar o botão e começar a falar com a mão na boca.
Sem nada para atrapalhar o instinto do pensar.
Qualquer coisa pode interromper uma poesia
que nascia
e mesmo um silêncio
interromperia na fração de um segundo qualquer.
Preciso anotar meus pensamentos, haja o que houver.
Portanto coloco-me diante de vocês em pleno feriado anotando idéias.
Como se guardasse na gaveta segredos mais que secretos.
Para que numa tarde fria, dessas de café, música boa e neblina,
Eu possa lapidar meus devaneios e postá-lo para aquecer um pouco
A tarde de vocês.
rs


OBS.: Desculpe o final desconexo, sou péssima em conclusões...

Postar um comentário