domingo, 1 de dezembro de 2013

Desembaralhando

Estou necessitando desembaralhar minha mente. Chega de palavras confusas e desconexas. Agora quero conexão. Preciso traçar planos, metas, estabelecer limites e direção.
Preciso acostumar minhas palavras a andar em linha reta. Preciso criar frequência e constância.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Confesso

Ah... a palavra delícia deveria começar com a letra L só para eu poder escrever Lêlícia... rs.
Cada curva consegue ser  mais perfeita que a outra. Em seu olhar pode-se afogar sem nem mesmo perceber o encontro, o cruzar de olhos. A simples lembranças de seus lábios pintados em Carmim faz perder o fôlego e o coração palpitar. Sua imagem, iluminada por baixo dos panos de tua saia, pernas, quadril, cintura, inteira. Ah beijaria cada centímetro de suas costas. E morderia de leve seu pescoço.
E me perderia em meio às suas madeixas... Cheias de encanto. Me embriagaria em seu perfume e lutaria contra o sono todas as noites para poder observar você. Que Lelícia... rs. Só de imaginar me seca a boca e perco a noção até mesmo de onde estou. Daria tudo para ter-lhe em meus braços. Até mesmo minhas palavras... Que insistem em desaparecer ao te encontrar.


The Doors-The End [FULL]

Jefferson Airplane - White Rabbit



que delícia que é esse som!!!

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Joss Stone - Al Green - How Can You Mend A BrokenHeart

Olhos borrados

Antes fosse um vinho derramado, algumas más lembranças e um motivo para borrar desse jeito estes olhos.
Ah... tenho os olhos e a alma borrados, uma cabeça latejante e mãos que não param de tremer.
Pensei ser fome, comi. Não era. Frio menos ainda, apesar das nuvens cinzas de lá fora, está calor.
E essas frases perdidas sendo gritadas constantemente dentro de mim. Não sei de onde vêm. Ou talvez até saiba... Cada uma delas. Mas qual o sentido de todas juntas? Nenhum.
Quem dera fosse um amor inacabado (ou acabado), ou mesmo a perda de um alguém querido. E não essas malditas frases que debocham do meu interior... Leem meus sentimentos e gargalham mais alto a cada segundo.
Estou cansado de juntar cacos invisíveis, fragmentos de algo que não sei o que é. Como montar um quebra cabeça com peças misturadas, perdidas, rasgadas. Antes fosse um motivo explicável. Afinal, qual motivo para tanta solidão?
Gostaria tanto de calar essas vozes, e sair cantando ao mundo minhas alegrias, meus versos de amor, colorindo a vida com cores as mais diversas. E até mesmo aprender a escrever frases sem mudar as palavras de lugar. Ah, como eu desejo ser mais claro. Explícito até.
Queria conseguir abafar essa insatisfação, essa amargura, essa coisa que chamam de frescura, de falta de vergonha, ou mesmo falta de vontade. Sentir-se atado aos próprios pensamentos... tropeçando em palavras no meio da escuridão. Um desejo insano de levantar, e sair correndo e agindo onde é preciso agir. Mas eu estou carregado de palavras, que pesam no estômago e me prendem à essa cadeira...
Antes fosse vinho derramado, algumas lembranças ou um motivo para borrar estes olhos. Como explicar que estou tropeçando em palavras que tentam mas não conseguem sair. Como calar esses gritos que infestam minha mente de frescura. ou não


quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Sem conclusão 2

A vida ás vezes cansa, parecemos criança com sono, querendo dormir.
A vida ás vezes dança, e acompanhamos depressa tentando não cair
Tem dias em que tudo é estafa, tudo é excesso, incompreensão.
Buscamos a bolha, ocultar-nos em nada, pararmos no tempo, sairmos do chão
Há momentos em que a realidade torna-se enredo, estranha paródia do que deveríamos ser
Há tormentos que nos tomam sem medo, nos cobrem os olhos, nos ferem sem ver.
Corremos do mundo, tentando fugir, querendo esconder
Caímos, choramos, tememos, corremos, levantamos, e ficamos...
Parados num tempo, perdidos em silêncios,
e mais uma vez... mais um texto fica sem fim;
preciso exercitar minha conclusão...

Falta título e conclusão... Ou mesmo início e final...

E na verdade não é apenas o vício nas redes sociais nem nossa insatisfação eterna de saber e querer mais, que nos deixa sentados em frente à uma mesma página virtual, rolando-a para cima e para baixo e deixando o mundo lá fora seguir do jeito que quer.
O problema é que depois que virou moda a rede social, diminuiu imensamente a quantidade de sites interessantes. De sites de conteúdo. De coisas que te prendam mais a atenção do que ficar preso naquela rede rolando a página de cima pra baixo e de baixo pra cima feito um zumbi.
Parando para observar, podemos perceber que após o surgimento do tal facebook não temos mais tantas opções de sites legais, interessantes, que tomam nosso tempo, que nos ensinam coisas novas. Existem milhares de sites espalhados, só que não são fáceis de encontrar, não tem tanta divulgação. Não sei explicar bem, mas falta conteúdo nessa tal internet.
E digo ainda, quando se diz sair do computador e criar uma revolução, não se diz simplesmente ir às ruas gritar, atirar bombas, fazer algazarras. É necessário que, num caso extremo, se jogue os eletrônicos pela janela e volte a participar do mundo real.
Não é simplesmente manifestar-se. Ok, é lindo manifestar-se. Porém, na semana seguinte estão todos sentados de novo, nas mesmas redes sociais. É necessário que se faça hábito atitudes diferentes. Positivas, revolucionárias. Comece sendo honesto, sendo verdadeiro. Não passe por cima de ninguém, não se julgue superior. Por mais extrema que seja a situação. A revolução se faz com mudanças de comportamento, revolucionário é aquele que percebe e entende que seu voto vale mais do que R$50,00, aquele que sabe que o troco a mais tem que ser devolvido, é aquele que não finge estar dormindo no ônibus, mas que levanta e cede seu lugar, pois sabe que um dia poderá precisar que cedam um lugar a ele.
A Revolução se faz na mente. É a partir da mudança de entendimento sobre o próximo e sobre o mundo.


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Amém

Peço orientação Senhor, peço que me acolha em seus braços
Hoje minhas palavras são distintas daquelas que venho gritando aos ventos ultimamente
Será que erro ou acerto? São tantas questões que me tomam
E paro para pensar e não sei o que fazer.
Num caminho posso seguir suas palavras, n'outro acredito que possa ajudar um irmão.
E d'entre tantos caminhos me confundo...
Tenho medo dos rumos que trilharei...
E nessas estradas vou me guiando, tentando encontrar o melhor....
Não busco ouro, riqueza, fama ou prazer...
Não quero adrenalina, desapego à vida, nem pouco a fazer.
E nessa história, mais uma vez estou em busca de uma missão.
Que irá me levar ao Senhor...
Julgue quem julgar, diga quem quiser dizer...
Não me tornei fanática, nem carola, apenas encontro no Senhor as respostas que o mundo não trás.
Portanto, me guia Senhor... me orienta a cada novo amanhecer
Para que eu possa continuar sendo a menina que sempre fui, porém, cada vez melhor
Por dentro, internamente melhor, mais pura, sincera e humilde...
"Abençoa Senhor as famílias amém, abençoa Senhor a minha também"
Me leva à minha missão original... e não permita que eu me perca no caminho
Estou à sua disposição Senhor, faz de mim o que quiser.
E assim, somente assim, serei feliz, bem feliz....
Meu coração....

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Aniversariando

É engraçado aniversariar...
Uma arte sutil. Modalidade rara da vida....
Saber contar anos, e adquirir experiências...
Adversidades da vida formando conjuntos de 365 dias.
Quantas chuvas se passaram, e quantas 4 estações...
28 primaveras, e 28 verões...
Enxergo-me em cada linha de expressão
Vejo minha mãe em meus traços no espelho
Orgulho-me....
Vejo meu pai, em cada expressão
Expresso-me
Sinto amor em meu todo viver
Aniversario
Com a chuva que me lava todo o ser
Agradeço cada oportunidade de viver...
Hoje sinto-me inteira completa de meu bem querer...
Obrigada a todos que completam meu ser
Cada qual com seu pedacinho
Que de tantos formam a mim...
Espero estar com vocês sempre
Aniversários e aniversários sem fim...
Obrigada!

terça-feira, 6 de agosto de 2013

UTI da Educação


  Tenho observado ultimamente que algumas pessoas concordam com minhas opiniões sobre a questão da educação e a urgência de uma solução para os problemas atuais. Apesar disso, percebo que elas não debatem frequentemente este assunto.
   Não se fala sobre educação - ou a falta dela - em rodas de bate-papo, em conversas de amigos, na televisão, nas escolas. É mais agradável comentar sobre o assalto do momento, o crime da moda, do que conversar sobre o descaso que está a escola dos filhos. É mais bonito conversar sobre o adultério de fulano de tal, do que comentar a gramática ultrajante que o novo chefe do departamento está usando.
   O país vêm sofrendo com o declínio da educação pública há algumas décadas e o resultado está visível todos os dias. Os profissionais do país mal sabem falar o português correto. Pegue uma amostra de 100 profissionais de todos os setores, graduados e não graduados, e analise o uso da língua. Provavelmente a maioria deles seria reprovada numa avaliação.
   Eu costumo repetir sempre que é necessário um plano de alfabetização geral da Nação. Desde o presidente da República até o cachorrinho do mendigo debaixo da ponte. O governo precisa entender que um país educado gera mais lucro para toda a Nação. A educação gera o lucro de qualidade. O país deixa de ser exportador de matéria prima e passa a exportar tecnologia. Ou melhor, agrega a exportação. Serão dois lucros e não um. Ao invés de manter alguns milhões de bonequinhos com orelhas de burro que passam a vida produzindo e consumindo enquanto seus representantes enchem a barriga com sua carne e seu suor; o governo poderia entender em definitivo que se tem Educação, a saúde, a segurança, o transporte público, a moradia, a miséria, e todos os outros problemas automaticamente se resolvem.
  Com educação o trem volta para os trilhos. E nosso jovem país, que está começando a andar ainda, poderá aprender a caminhar corretamente, seguindo os bons passos. Nossa história começou conturbada, e foi se arrastando pelo caminho, aos tropeços e capotões. Agora estamos começando a andar. A Educação é o cálcio que vai fortalecer todos os ossos do Brasil, para que esta caminhada seja vitoriosa. Mas depende de nós.
   É isso mesmo meus amigos. Como os nossos representantes vão saber que exigimos educação de qualidade se ninguém fala disso? É obrigação deles saber, concordo. Porém, quando temos a oportunidade de conversar com algum político, líder, chefe, qual é sempre a prioridade? as respostas são sempre as mesmas: Dinheiro, Emprego, Saúde, Segurança. Quando se fala em educação é apenas para tentar conseguir vaga nas escolas ( o que é cada dia mais impossível). Ninguém se lembra de chegar lá e falar sobre os problemas da escola dos filhos, sobre a qualidade de seus uniformes, sobre a falta de educação dos próprios professores ( que fazem parte daqueles profissionais formados nas ultimas décadas e que não sabem 1/3 do português que deveriam saber), nem mesmo sobre a falta de educação do próprio representante, afinal é fato que a maioria deles não sabe nem falar direito.
   Portanto, sejamos exigentes! a partir de hoje comecemos a falar sobre educação. Com urgência. Nossa Nação não pode mais esperar. Precisamos de uma Unidade de Terapia Intensiva da educação, para que se eduque dos que nascem aos que estão morrendo. Utopia?

terça-feira, 9 de julho de 2013

A Velha Árvore

Uma árvore plantada ao chão.
Criando raízes longas e grossas, que entranham-se à terra,
E às folhas, sementes, e infinidades de seres que caem ali.
Fincando suas experiências nesta terra, e crescendo.
Cada dia um novo renascimento e ficando forte.
Pomposa, frondosa, florida, frutada.

Um pássaro pousa em seu galho, descansa.
Uma família formiga apressa-se em seu tronco, trabalha.
Uma folha desprende do topo, plana...
Um pica-pau batuca lá em cima, e caça.

N'uma tarde fria, toda formosa a chuva chega.
Lavando a alma da Velha Árvore cansada.
Que mirando um clarão nos céus, desaba.
Deixa ir as folhas mortas, os frutos podres.
Toda a sujeira, poeira, e a carcaça.

Vai agora a Velha Árvore unir-se à outras raízes.
Fortalecer a mesma terra em que outrora.
Viestes chegar como semente.
Do pó ao pó, diria alguém sabiamente.
O ciclo sem fim, como naquela velha história.


http://www.flickr.com/photos/sosteneslopes/5208156594/


segunda-feira, 8 de julho de 2013

Aos meus pensamentos

Um grande e eterno FO.DA-SE à vocês.
Não me importa esta sua opiniãozinha hipócrita
Centrada na ideia de que teu rabo comanda o mundo.
Poupem-me de seus comentários desnecessários
E lembrem-se sempre que errar é natural
Desdenhar do erro alheio é crueldade e das grandes.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

CARTA DE AMOR

Me pergunta por que estou diferente, talvez sejam os dias fora,
O ar do interior, ou mesmo umas lágrimas a mais que derrubei pelo caminho.
Mas continuo aqui meu amor, a amar-te, inteira, continuamente.

Não precisa ficar com medo não viu. Eu volto, você sabe.
Todas as vezes eu volto. Para você meu querido, amado.
Não te deixes levar pelas angústias da saudade,
Sabes que sou tua. Eterna.

Vem cá meu menino, abraça forte essa pessoa meio diferente, com alguns dias a mais,
Mas não esqueça meu amor, você é meu pouso. repouso. Fortaleza.
Feliz mais um dia dos namorados dos muitos que virão.

Amo cada dia mais e com mais intensidade.
Tenha sempre a certeza  em seu coração.
Amo você!

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Roubei do Face

Esse deveria ir para a pagina de achados e roubados... e até vai, mas ele precisava vir para cá.
É como se o desenhista tivesse lido minha mente... kkkk


terça-feira, 4 de junho de 2013

Em pensamento

Talvez seja só eu que esteja sentada na frente do computador na véspera do feriado.
Provavelmente não, mas nunca se sabe.
O ar parece mais leve, mais calmo.
 A tempestade cessou. Agora a calmaria.
Aquela em que se respira fundo
E o ar flui facilmente.
Uma música antiga para tocar lá dentro sua criança
interior.
Tudo bem, nem tão inocente assim, mas Ramones não é o extremo da agressividade também.
Arruma a postura,
estala as costas,
 o pescoço,
começa
 a escrever
 em pensamento.
Quando as palavras chegam assim é um problema.
E eu tenho o péssimo hábito de não carregar comigo papel e caneta
(que não me ouçam os verdadeiros escritores).
Elas chegam correndo, em pensamento,
 e quando você vai pegar algo para escrever,
...
...
elas fogem.
Gostaria muito de ter um botão de gravador embutido na palma da mão,
 assim quando a mente começasse a florear  ...-¨¨-.... 
seria só apertar o botão e começar a falar com a mão na boca.
Sem nada para atrapalhar o instinto do pensar.
Qualquer coisa pode interromper uma poesia
que nascia
e mesmo um silêncio
interromperia na fração de um segundo qualquer.
Preciso anotar meus pensamentos, haja o que houver.
Portanto coloco-me diante de vocês em pleno feriado anotando idéias.
Como se guardasse na gaveta segredos mais que secretos.
Para que numa tarde fria, dessas de café, música boa e neblina,
Eu possa lapidar meus devaneios e postá-lo para aquecer um pouco
A tarde de vocês.
rs


OBS.: Desculpe o final desconexo, sou péssima em conclusões...

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Café

Sentada, de janelas para a parede...
Café...
Meia janela. Lâmpada.
Antigamente seria cigarro atrás de cigarro.
Cigarro no passado fica entre parênteses.
Café.
Apaga a luz. Fecha a porta
Aumenta o volume do  radio.
Tédio...
Chove, para, chove, para.
Hoje tem novela. Mas não quero assistir, é nova e pretendo me desprender desse vício.
Chuva, chuva, chuva. Ao menos tive companhia.
A maré está cheia. Parede em frente à janela.
Café.
Grades na janela em frente à minha.
Sinto como se meu sangue pesasse, e meu corpo estivesse preso a este lugar.
Não ria. Ou ria, sinta-se a vontade. Que minha monotonia ao menos alivie sua tensão.
Minha cabeça pende para o lado, pesada, cansada. Cheia de nuvens.
Preciso organizar minhas coisas. Não consigo me mover.
O tédio me consome. Preciso acordar.
Café. (Cigarro)
Acho melhor almoçar. Não quero comer.
Mais café.
Chove. Chove. Chove



quarta-feira, 22 de maio de 2013

Jogo da Vida

     Das notícias que andam postando, pouco me interessa. Não tenho encontrado algo que chame a atenção há tempos. Talvez seja culpa minha mesmo. Esse tal desinteresse pelo mundo que me castiga os dias tem deixado as coisas sem graça, as cores desbotadas.
     Falta aquela atitude de levantar com o pé direito, olhar-se no espelho e amar. Decidir ser linda e sair tomando resoluções que há meses estão empacadas, trancadas em gavetas e armários. Mas aquela preguicinha chata insiste em incomodar todas as manhãs, 9 vira 11 e 11 vira 13. Metade do dia desperdiçado em três ímpares.
     Desinteresso-me a cada nova manchete. E tenho que admitir, sou persistente, pesquiso, leio, tento, nada me atrai. Preto e Branco, preto branco, cinza em degradê... Procuro nas páginas da internet por uma inspiração, um estímulo, quem sabe de uma notícia surja uma poesia, uma estória, um conto.
    Está cada dia mais difícil. Só vejo falar de futebol, política, saúde e segurança - ou a  falta dela. Fala-se de tudo e  não diz-se nada... É como se de repente acordasse num filme daqueles em que todos conspiram contra você. rsrs. Sentido figurado, claro. Mas tudo é repetido, notícias que já passaram, temas já esbagaçados até o caroço. Sinto falta de criadores. Este mundo está precisando de idéias novas. Estilos novos de música, escritores, pintores, políticos, professores. Mudar tudo.
     Parece radical de mais eu sei. Porém, confesso que seria paradisíaco. Poder começar de novo. Com as experiências que tivemos até hoje, reconstruir do zero a Nação. Como uma segunda partida de um jogo que você já jogou uma vez, entendeu como funciona, e agora vai começar de novo fazendo as escolhas certas.
Ah, seria tão bom começar de novo. Tenho certeza que ganharia essa partida!!!


segunda-feira, 20 de maio de 2013

Indignação Diária

     Costumo surpreender-me diariamente com meninas de 10 anos agindo como se fossem adultas. Vivendo como adultas. Tendo comportamento e relacionamento de pessoas adultas, mas com a maturidade de 10, 11 anos.
     Choca-me essa visão, que espalha-se com toda facilidade pelos quatro cantos do mundo. Quisera eu poder abrir os olhos dessas CRIANÇAS. Gritar-lhes dentro da mente: "ACORDEM BURROS INSANOS, NÃO VEEM QUE SE MATAM COM PRAZER? OBSERVEM, ONDE ANDA A INFÂNCIA? O QUE VOCÊS ESTÃO FAZENDO? SENTEM VERGONHA DE SER CRIANÇA!?!!?! SER CRIANÇA É O QUE DE MELHOR HÁ NO MUNDO!!!!"
     Quando vejo passar uma "mini-mulher" dessas lembro de como eram as crianças há alguns anos atrás. Aquela menininha de 11 anos estaria de vestidinho sim, mas um vestidinho rodado, de lacinhos e margaridas.    Carregaria consigo um ursinho, uma boneca e um telefone de brinquedo.
     Sinto vontade de chorar ao ver crianças entregando-se às maldades do mundo sem o menor pudor, sem limites, sem barreiras. Expondo seus corpos que ainda nem começaram a se desenvolver, usando batons e esmaltes vermelhos, jogando os longos cabelos de lado, oferecendo-se. É deprimente. É revoltante. É ultrajante.
     Enquanto nossos administradores públicos esforçam-se em "sub-dividir" verbas já despedaçadas pelo caminho. Nossas crianças que deveriam estudar, praticar esportes, fazer atividades intelectuais, desenvolver suas habilidades; estão abandonadas, incentivadas por um consumismo louco que quer mesmo é que elas peçam calças jeans de R$400,00 para os pais. 'Mega multimilionárias' indústrias de cosméticos, farmacêuticos, químicos, psicológicos... Manipulação imposta desde o nascimento.
     Não consigo expressar meus sentimentos de horror. Não me canso de perguntar quando as pessoas vão acordar. Será que um dia conseguirão entender que o único caminho é a EDUCAÇÃO??? Será que antes de morrer eu conseguirei ver um mundo que caminha para um lado mais positivo? Conseguirei observar os movimentos a favor da Educação? Digo ainda, será também que poderei eu participar deste grande movimento?
     Espero chegar o dia em que ter a Educação como prioridade seja meta de TODOS os governantes, e não motivo de chacota entre eles.
Abre o olho Brasil. Agora que nosso país começa a crescer. Agora que nossa Pátria Amada começa a progredir no mundo precisamos nos educar urgentemente. A todos, o tempo todo. Criar um plano emergencial de educação onde haja projetos para alcançar TODA a população, todas as idades.
     Todo mundo é bom em algo, tem um dom e pode ensinar isso a outros. Sejamos mais solidários diariamente. Tente ensinar uma coisa e aprender uma coisa todos os dias. É fácil, é simples, não é cansativo, não toma tempo.
     Temos que trazer de volta a infância perdida de nossas crianças. Ensine uma brincadeira para uma criança que não seja um jogo eletrônico. Não compre roupas de adulto para seus filhos. Eles são crianças. podem ficar lindos, mas deixe só para festas e eventos ocasionais. Aprenda com eles, mas não deixe que mandem em você. Eduque, seja educado!


quinta-feira, 9 de maio de 2013

Mistureba de Versos



Há momentos em que nos deparamos com verdades as quais nunca imaginamos existirem.
Verdades boas ou ruins, encantadoras ou trágicas, reais.

AS palavras que emergem da alma, afloram na mente, sem culpa sem nada
São momentos, serenos, sinceros, eternos;

No contorno de meus dias, pude às vezes deparar-me com situações inusitadas,
tão fora de contexto que chegavam a gritar.
Situações gritavam miséria, luxo, contornos, contrastes, enfim.


A vida ás vezes cansa, parecemos criança com sono, querendo dormir.
A vida ás vezes dança, e acompanhamos depressa tentando não cair
Tem dias em que tudo é estafa, tudo é excesso, incompreensão.
Buscamos a bolha, ocultar-nos em nada, pararmos no tempo, sairmos do chão
Há momentos em que a realidade torna-se enredo, estranha paródia do que deveríamos ser
Há tormentos que nos tomam sem medo, nos cobrem os olhos, nos ferem sem ver.
Corremos do mundo, tentando fugir, querendo esconder
Caímos, choramos, tememos, corremos, levantamos, e ficamos...
Parados num tempo, perdidos em silêncios,
Simplicidade, praticidade, prático e simples assim!


Eu to perdendo meu presente
meu passado  ta me passando...

Um disco na vitrola
Uma taça de vinho
Uma cama aconchegante
E da maior fraqueza, surgem os mais fortes sentimentos

Na distância, nasce a presença
Na ausência... um sonho bom.
A lembrança de um pesadelo, torna-se um suave despertar

Dentro de tantos mundos, nos transformamos vida afora...
Metamorfoseando entre parágrafos, asneiras, e 'sílabetas' sem fim.