quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A casinha Alegre


Tão pequena, tão singela
Tão serena essa casinha.
Duas janelas, uma porta
E duas cadeiras na cozinha.
Tão singela, tão pequena
Tão feliz essa casinha
Nos acalma, nos conforta
A alma sua e minha.

Para certos olhos 
É feia, escura e fria
Para os olhos certos
É linda, quente e cheia de harmonia.

Duas vidas vão vivendo,
Se unindo noite e dia.
Aprendendo na bela casinha
O sentido da alegria.
Postar um comentário