segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Mudança de nome: Marina - do mar.

Para quem não sabe porque eu decidi ser Marina agora e deixei o Ligia de lado, ser Ligia é isso:

Lili 

Lili tinha um jeito estranho
Dormia com um drinque na mão
Saía e rastejava pelo chão
Atrás de emoções baratas que a fizessem se sentir
Uma espoleta pipocando
Queria se sentir como a Greta Garbo
on the night club

Lili via assombração
Filosofava no balcão
Temia atender o telefone
E ser quem não queria
Dormia só durante o dia
Queria explodir o mundo
Queria se sentir como a Greta Garbo
on the night club


Porém,  ser Marina é isso:

Marina 

Por você, eu bato minha cabeça na quina
Fico dopado, tomo um pote inteiro de aspirina
Como feijão e jiló com gelatina
Por você, eu coço meu olho enfiando o dedo pela narina

Só por você, Marina

Por você, eu rodo bolsinha no ponto de ônibus e na esquina
Mesmo com frio e chovendo, eu fico o dia inteiro na piscina
Vejo o show do Terrorturbo na maior adrenalina
Por você, eu até passo o verão em Colatina

Só por você, Marina

Não vou me enganar
Já fui burro uma vez, não vou me superar
Mas deixa eu te perguntar
Marina, o que eu faço pra você me dar uma atençãozinha

Quina, aspirina, gelatina, narina
Esquina, parafina, morfina, Colatina

E você, Marina


Eu me sinto bem sendo Marina, então simplesmente respeitem. Obrigada

sábado, 23 de outubro de 2010

Aprendendo

Tem horas na vida que sentimos, que o que sentíamos não agrada mais o nosso ser
E as vozes que ouvíamos ao longe, às vezes perto,
dizem coisas que não sabíamos, ou fingíamos não saber
E os vícios se tornam pacatos, perigos parados, atados naquele ser
Um ser que se torna passado, para que se acenda um novo viver.
Momentos são presentes constantes, que nos damos sem saber.
Escolhendo a cada segundo, o futuro que melhor nos couber.
E assim vamos moldando nossas vidas,
Errando, acertando, meio sem saber.
Costuramos nosso destino, querendo ou sem querer
Em linhas que ora apertam, ora afrouxam.
Dia e noite, vida afora.
N'um aprendizado eterno,
Do que somos ou queremos ser.


terça-feira, 19 de outubro de 2010

Poxa é tão bom ter amigos queridos, mesmo distante... aliás parece q aumenta amizade com a distância.
E as as amizade virtuais acabam se tornando mais fortes que muitas amizades reais(?) que fazemos por aí.
São amigos como a Nat, a Bia, o Vii, o Eric, Tiago, Jomo, Fidel, Paulo... pox(rr)a... amigos du car(v)alho!!!
Claro que tem amigos nada virtuais que tbm são inesqueciveis e fodásticos, como a Mi, Sté, Camila, Portuga, Léozinho, entre tantos outros...
Todos longe...heuheue...
Enfim...to sem inspiração hj...o alcool não ajuda... então voltarei pros meus amigos virtuais...e qnd estiver mais inspirada posto algo um pouco mais criativo...
Beijundas a todos!

domingo, 10 de outubro de 2010

Cerrado e Litoral

Leve-me contigo, onde as palavras não alcançam e os pés não podem tocar
Leve-me contigo, ao paraíso escondido em nossas mentes.
Leve-me meu amor.
Cante-me as canções que ouvíamos 
Cante-me aquelas canções de chorar, e amar.
Me diga agora as palavras que prometemos dizer
Me diga as palavras que nos fazem sentir, só nós sabemos quais são.
Vem meu amor, pegue em minhas mãos.
Me mostre o mundo guardado no seu coração.
Somos jovens e somos livres. podemos fazer e dizer.
Nada poderá nos prender, nesse lugar distante.
Este lugar errante, que separa mente coração, devaneio e alucinação.
Somos tolos e pequenos nesse mundo enfermo
Vamos fugir pro nosso lugar, onde tem sol e tem mar
Cerrado e litoral, unidos em ideal, um paraíso astral.
Nosso ser, eu e você, brincando de viver.
Seremos dias e noites, fogueira e constelação.
E enquanto é só essa canção.
Canta meu amor, que o dia já vem, trazendo nossa união.