quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Acróstico

Quero sentir seu cheiro, gosto, suor...
Quero sua alma penetrando na minha
Quero suas certezas nas minhas incertezas
Meus pudores rasgados pelos seus dentes
Minhas roupas no chão
Meu corpo em suas mãos...
Minhas costas na gelada parede.
Em que você me aperta com sede
Me bebe, devora, explora...
Todos sentidos Alvoroçados
Instintos cada vez mais aguçados
Arrebatados, cheios de desejo
Gritados, abafados, incandescentes
Orgásticos, cansados, transcendentes.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Dorme vermelhinho

Pssiu...fica quietinho aí, não faça muito barulho!
Continua dormindo, se você acordar o estrago vai ser muito grande!
Volta pro seu cantinho e tranca a porta de novo,
Outra hora a gente conversa!

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Até onde vai a brisa!

Cheguei à conlusão de que estamos chegando há uma espécie de semana de 22.
Estamos nos reunindo durante todas as masdrugadas pelos computadores.
Fazemos baladas, ficamos na Boehmia tecnologica, cantores, atores, poetas.
Mas não os que tocam em rádios ou tvs famosos e caros.
Somos os que consumimos esses famosos.
Os que passam a noite na bohemia na frente de um compuatdor
Comentando e criticando novelas, filmes jornais, políticos.
Somos aqueles Mários de Andrade, Anita Malfati, Oswald,

Do site Pitoresco.:
"Um grupo importante
de renovadores     
De acordo com o catálogo da mostra, participavam da Semana os seguintes artistas: Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Zina Aita, Vicente do Rego Monteiro, Ferrignac (Inácio da Costa Ferreira), Yan de Almeida Prado, John Graz, Alberto Martins Ribeiro e Oswaldo Goeldi, com pinturas e desenhos;
     Marcavam presença, ainda, Victor Brecheret, Hildegardo Leão Velloso e Wilhelm Haarberg, com esculturas; Antonio Garcia Moya e Georg Przyrembel, com projetos de arquitetura.
     Além disso, havia escritores como
 Mário de Andrade, Oswald de Andrade,
Menotti del Picchia, Sérgio Milliet,
 Plínio Salgado, Ronald de Carvalho,
Álvaro Moreira, Renato de Almeida,
 Ribeiro Couto e Guilherme de Almeida.

      Na música, estiveram presentes nomes
 consagrados, como Villa-Lobos, 
Guiomar Novais, Ernâni Braga 
e Frutuoso Viana."








Somos esses que apareceram criticando a sociedade e mudaram a cultura de um país. Somos esses que idolatramos hoje. E vamos nos comunicando virtualmente, fazendo compras, indo a festas e baladas, nos reunindo, compondo. Nos conhecemos virtualmente, fazemos amigos inimigos, namoramos, casamos, brigamos e começamos tudo de novo.


Temos mundos paralelos, aquele da realidade é apenas para sustentar esse mundo mágico que criamos virtualmente todos os dias. Já estamos tocando rádios comunitárias, fazendo blogs e jornais. Nos mostramos em vídeos e atualizações e twittees o tempo todo. Entramos agora na era do 3D e já estamos praticamente nos tocando "física-tecnologicamente". 
Criamos um novo mundo, e estamos chegando nossa semana de 22. Só falta saber quando ela virá!    

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Café com frio e fel!

Garçom por favor, me traz um café bem amargo,
pra acompanhar esse ódio que brinca no meu estômago.
Vou me sentar aqui do lado de fora pra fumar meu cigarro
Meio molhado pela garoa fria que corta minha pele.
Traz também uma cadeira pr'um amigo solitário
Que vem sofrer a dor dele junto da minha
Ficaremos aqui, embalsamados em ódio
Consumindo café com frio e fel!
Não se preocupe conosco, qualquer coisa chamamos.
Agora vai, não esquece do cinzeiro.
E por favor não repara, pois
O ódio com cinza vira alegria de maconheiro!

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Àqueles que querem demais!

Toda intensidade que pode haver em meus sentimentos, dedico a mim mesma. Nesses momentos em que me prejudico, me judio, me afronto. Quando desgraço a mim mesma, quando consigo destruir qualquer coisa de bom que possa haver no meu interno. Então concentro toda a intensidade de sentimentos no meu ser, me amo, me odeio, me repugno e me jubilo. Volto para dentro tentando entender o porque daquele fazer mal. Me alucino, devaneio, descontrolo, corro para mim. Não aceito opiniões alheias. Guarde para você suas palavras! Meu ser é só meu, meu eu não é você. Me destruo, reconstruo, sobrepujo. Nesse processo de interiorização, degradação e sublimação interna eu conquisto a clareza e a sobriedade necessárias pro próximo, pro continuar, pro caminhar.
Sinto interno, sofro dentro, rio inteira, amo, odeio!
Depois voo, subo montes, alcanço o céu, sigo, consigo!
De cada alucinação encontro a razão perdida. Em cada loucura encontro uma realidade, em cada sobriedade um devaneio.
Não sei distinguir o certo do errado, o movimento do parado, o passante do passado.
Sonho com palavras que não consigo escrever, descrever, reviver...são sonhos, não são nada, são mágoas, ou águas...
São dias assim , serenos, perfeitos, em sonhos ou momentos, são vidas eternas... são agora ou são cavernas. Etecéteras sem fim. Às vezes não, às vezes sim... simplesmente acontecem, aparecem, se escondem, enlouquecem, devolvem e continuo aqui, simplesmente escrevendo as palavras que vão aparecendo, na minha mente crescendo, vivendo e morrendo.
Tento então achar nexo, confesso, nem sempre consigo, às vezes finjo e finge quem lê. E ficamos assim, entre porquês, fingindo coisas sem saber.
Então diante de você, consigo às vezes dizer, me deixa! me esquece! desaparece! Se me humilho ou me idolatro, é problema meu e só meu! e vá se fuder! com o perdão do palavrão ( ou palavrinha, tão pequenina). EU me humilho, me desgraço, me acabo e me conserto. Quanto a você, vá procurar o que fazer!

Branco

Branco...
pensa, pensa, pensa
Nada!
E agora?
Tenta... tenta... tenta de novo!
Nada ainda!!!
hum...
Desisto???
Quem sabe mais tarde!!!
pensa mais um pouco
Branco!

sábado, 7 de agosto de 2010

Novas Páginas

Pessoal, agora além das postagens aqui da home, há também as páginas "Achados e Roubados" e "Receitas IV:XX".
No Achados e Roubados colocarei algumas coisas interessantes encontradas por esse mundo virtual tão rico e cheio de coisas legais.
No Receitas IV:XX eu colocarei algumas receitas inventadas e também algumas cedidas por amigos que se arriscam na cozinha e acabam acertando (ou não).
Não deixem de conferir!!!
Beijos a todos!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Nat, Iole, Bia

Musas, nuas ou semi-nuas, uma, duas ou três.
Encantam em dreads e cachos.
Divertem, enlouquecem, alucinam.
Suas, minhas, nossas, umas das outras.
Doces, como os que a Bia tanto gosta
Verdes, maduras, Vermelhas.
Inteiras, ou meio ausentes (como sempre)
Mães, filhas, mulheres.
Produzem palavras na mente da gente.
Escrevemos a elas (Vii e eu), tentamos
Vontade de homenageá-las todos os dias
Palavras não são suficientes para descreve-las.
Sorte de quem as conhece.
Sorte minha de poder dize-las
Lindas, musas, inteiras!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Sons 3

Fagulhas, parelhas, centelhas;
Abusas de mim, sabes que sim!
Deseja, receia, esconde, anseia;
Foges de mim, sabes que sim!

Viveiros de versos e cantos,
Silêncios só feitos de sons;
Torturas meus torpes momentos
Suspiros, gemidos em todos os tons

Desejos, olhares, suas mãos a correr
Sua essência transcorres todo meu ser
Suores, seu cheiro, um beijo, prazer
Tesão, calor, meu corpo, você!


Ps.: O verso "Viveiros de versos e cantos," foi inspirado no título do blog Viveiro de Versos. Que eu acho muito lindo por sinal.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Censura

E como num conto, entra em silêncio, me rouba um beijo e me tira a ação, percorre meu corpo, descobre meus seios, me enche de desejo e tesão. Desvenda meus segredos, me leva a razão. Se desfaz de minhas roupas sem o menor sinal de resistência. Me domina por completo, sem dizer uma palavra, sem pedir o meu afeto. Acaricia meu corpo com o peso do seu. Devora minhas curvas, sente o gosto do prazer em minha respiração. Me tira o fôlego, e se une a mim como um só ser, penetra meu viver, me faz te querer mais. E calo o silêncio com gemidos sem querer. Extasiada, acolhendo o teu ser. Me faz completa no seu completo vai e vem, me enche de querer bem, um querer de ter você. Me olha nos olhos enquanto me possui, atormenta minha alma, tira minha calma, explode em combustão, apertando minhas mãos e gozando com paixão.