terça-feira, 29 de junho de 2010

Sua insanidade, meu prazer!


Não adianta me mandar partir
Não adianta me exorcizar
Pode gritar que eu não vou sair
De mim você não vai se livrar






Eu estarei dentro da sua mente
Em cada coisa que você tocar
Em cada som que você ouvir
Nos pensamentos vai me encontrar









Serei seus medos e seus delírios
Serei cada nova alucinação
Serei fantasmas e também suspiros
Consumirei o seu coração






Sua loucura será feita de mim
Minha vitória é o seu abismo
Serei seu vírus, doença sem fim
Me embrenharei em seu organismo.





Postar um comentário