sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Para que lado anda o mundo???

Nunca consegui entender isso, ninguém sabe se é a favor ou contra as guerras, ninguém sabe se é a favor ou contra a salvação do planeta, não se sabe ao certo quem quer fazer algo , ou quem apenas finge, nunca sabemos quem são realmente as pessoas.
O Planeta, isso é certo, pede socorro, as crianças também, e os idosos, e os animais, e todos. Sempre tem alguém pedindo socorro. Sempre tem alguém disposto a ajudar e sempre haverá aqueles que dirão não. Mas num mundo onde sobrevive o mais adaptado, não se sabe ao certo quem irá sobreviver, não se sabe ao certo se o mais adaptado é aquele que ajuda, ou o que pensa apenas na própria sobrevivência.
Então, façamos o que julgarmos certo em nossas mentes, esqueçamos dos julgamentos alheios, pois nunca poderemos saber quem é realmente certo, a não ser quando nós formos, para seja lá onde for, para onde cada um acredita, lá saberemos se erramos ou acertamos. Mas enquanto isso não acontece o certo é, simplesmente, o que acreditamos.
Não há como provar para uma pessoa que não existe um copo em cima da mesa se ela está vendo o copo. Assim como não temos como convencer uma pessoa que se ela fizer xixi no banho, o planeta terá alguns anos a mais de vida. Porém, podemos fazer o nosso xixi no banho, pois sabemos que cada descarga gasta em média 12 litros de água. Então não pense nos outros, não pense se está na moda ser ecológicamente correto, pense apenas no que pode fazer agora. Você pode apagar aquela luz que está acesa à toa? Ótimo, apague! Você pode ir até a padaria à pé? Maravilha, vá!! Faça VOCÊ a SUA parte, comece você a salvar o que você tem, pois é para os seus que você deixará as consequências das suas atitudes, todas elas.
Ás vezes, parece um trabalhão ter que separar o lixo, mas se você não jogar tudo junto, não terá que separar depois, certo? Você não precisa proibir seus filhos de tomar banho demorado se você conseguir mostrar a eles o porquê de economizar água. Com algumas poucas explicações, adequadas a cada idade, a criança entende e colabora. São atitudes que nocomeço podem parecer chatas, ou cansativas, mas que após tornarem-se hábitos, passam despercebidas no dia a dia. O que não pode acontecer, apenas, é fazer algo em que não se acredita, pois, isso logo deixará de fazer parte da rotina. Por exemplo, se eu não entendo como acontece a decomposição dos materiais, como eu vou entender que o vidro leva tantos milhões de anos para "sumir" e por isso tenho que separar do lixo comum? Se eu não acreditar que aquela atitude de separar o lixo vai ajudar o planeta, por que fazer?
Então temos que fazer aquilo no que acreditamos. E buscar SEMPRE informação, pois só ela é capaz de mudar nossas crenças nos tornando pessoas cada vez melhores.
Nós podemos explicar facilmente para uma criança que tudo, depois de usado, vai se "desmanchando", e que o vidro demora muito muito muito para desmanchar, e que se nós não colocarmos num lixo especial só de vidros, ele vai ficar andando sozinho pela terra até desmanchar, e vai cair no bueiro, vai sujar o rio, ele nunca vai conseguir chegar no lugar que os vidros velhos viram vidros novinhos.
É fácil, é só um pouquinho de paciência e pedagogia...rs...
Vamos todos juntos mudar o mundo, cada um fazendo aquilo que acredita, e cada um fazendo uma parte, pois ninguém é super-homem para limpar todo o mundo "solo" rs...
Comece hoje, apague aquela luz, feche direito aquela torneira, faça xixi no banho, ande a pé de vez em quando, troque o carro pela bicicleta uma vez ou outra, faça compostagem na sua casa, ensine seus filhos e parentes, dê idéias no seu trabalho, condomínio, academia, barzinho, balada.
Cada grão faz parte do todo, e cada pequena atitude ajuda a salvar um planeta que há tantos anos vem dando tudo para nós. Pense um pouco, o que você pode fazer hoje??

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

CompostagemPDFImprimirE-mail

Como compostar o lixo orgânico,
mesmo em pequenos apartamentos

A compostagem é uma técnica milenar, praticada pelos
chineses há mais de cincomil anos. Nada muito diferente
do quenatureza faz há bilhões de anos desde que
surgiram os primeiros microorganismos decompositores.
Seguindo o exemplo dafloresta, onde observamos que
cada resíduo,seja ele de origem animal ou vegetal, é
reaproveitado pelo ecossistema como fonte de nutrientes
para as plantas que, em última análise, são o sustentáculo
da vidaterrestre. Pois bem, quandoprocedemoscom a
compostagem estamos seguindoas regras da
natureza e destinandocorretamente nossos resíduos.

Tradicionalmente a compostagem é vista como uma prática usual
em propriedades rurais e centrais dereciclagem de resíduos.
No primeiro caso é uma estratégia do agricultor
para transformar os resíduos agrícolas em adubos essenciais
para a prática da agricultura orgânica.No segundo é uma
necessidade administrativa, que tem a intenção de diminuir
o volume do material a ser gerenciado além de estabilizar
um material poluente.

No espaço urbano existe a crença de que lixo deve ser
recolhido pela prefeitura e despejado em algum local onde possa
feder e sujar a vontade. Esta realidade perversa está sendo
mudada, graças às ações práticas de alguns municípios
e pelos avanços nas leis e normas ambientais em nosso país.
Mas o que nós cidadãos podemos fazer em nossas casas para
colaborar neste processo?

Uma coisa muito boa que podemos fazer em nossas casas e
apartamentos é a compostagem. Diferentemente dos agricultores
que precisam de adubos para os seus cultivos ou das
prefeituras que precisam se livrar desse resíduos; nós em casa
podemos começar simplesmente tentando diminuir a quantidade
de lixo orgânico emitido para a prefeitura. É claro que só é
possível isto em casas onde o lixo é separado.

Entre os muitos modelos decomposteira existentes,
destacamos os engradados de pvc (lembra
das caixas plásticas usadas em supermercados para o
transporte das compras?). Com dois outrês engradados
podemos montar uma sistema de compostagem
bem eficiente e que não ocupa muito espaço.
Vamos ver isto passo-a-passo:

Como montar a composteira em
espaços mínimos (sacadas e áreas de serviço)

1. Forre por dentro um engradado de pvc (destes que usamos para
carregar as compras no supermercado) com uma camada
espessa de jornal bem úmido, mais ou menos 6 ou 8 folhas.
Depois de acomodar estas folhas de jornal faça furos no fundo.

2. Preencha o fundo deste engradado com composto já
pronto e com minhocas. Faça uma camada de mais ou
menos 10 cm de espessura. Nos supermercados
e em floriculturas encontramos um produto genericamente
chamado de húmus de minhoca. Um bom húmus
sempre tem alguns ovos e filhotes de minhoca que sobrevivem
ao peneiramento e à embalagem.

3. Escolha no seu lixo orgânico algumas porções de
cascas de frutas ou folhas de verduras, não muito.

4. Enterre este material no composto. Isto vai servir para
avaliar a quantidade de minhocas que existe neste material,
já que elas serão atraídas pela comida (lixo orgânico).

5. Cubra tudo com mais uma camada de jornal úmido.
O jornal tem que estar sempre úmido, caso
contrario roubará água do material que esta sendo compostado e
este não ficará pronto em poucas semanas.

6. Providencie uma tampa para o seu composto. Isto evitará a
proliferação de moscas e baratas além de servir de barreira
para um eventual rato.

7. Agora uma parte bem importante! Observe por alguns dias
quanto tempo as pequenas minhocas levam para
comer uma determinada quantidade de lixo orgânico. Esta
é a capacidade de reciclagem da sua composteira. À medida que as
minhocas vão crescendo e se reproduzindo o consumo de resíduo
orgânico vai aumentando. Uma minhoca vermelha do composto
(Eisenia foetida) pode comer o próprio peso em um único dia, além disso
com apenas três meses elas já estão se reproduzindo, podendo
depositar um casulo a cada semana. Cada casulo desses pode gerar
de quatro a doze pequenas minhocas que já nascem prontas para comer
muito pelo resto da vida. Uma composteira doméstica pode
ser considerada eficiente quando os resíduos orgânicos
somem totalmente em menos de duas semanas. Outra técnica
muito usada por jardineiros experientes para avaliar um composto é a
quantidade de ruídos que este pode produzir. Difícil de acreditar? Então
experimente, quando seu composto estiver produzindo um pequeno ruído
que lembra um líquido escorrendo é sinal de que as minhocas estão
trabalhando a todo vapor. Daí para a frente é um
processo contínuo e crescente.

O que fazer quando a composteira está cheia

8. O que acontece com as composteiras domésticas é que elas
sempre têm uma quantidade de material pronto, uma parcela
de material em processo de decomposição e uma porção diária
de lixo orgânico ainda fresco. Isto dificulta bastante a
coleta do material que já está pronto para o uso. Para este problema
temos uma solução.

Veja a seguir:

9. Um engradado composteira vai sendo lentamente preenchido e as
minhocas vão comendo e reciclando material de baixo para cima.
Bem, um dia nosso engradado estará completamente cheio, com material
já reciclado no fundo e lixo fresco junto à superfície. Isto é inevitável,
mas uma maneira de contornar este problema é simplesmente forrar
as laterais de um novo engradado e empilhar sobre o primeiro.
Assim, dê continuidade ao processo colocando uma porção do
composto cheio de minhocas no fundo do segundo engradado e
siga o processo normalmente. Desta forma as
minhocas continuarão trabalhando no sentido vertical e em algumas
semanas a sua primeira caixa estará completamente reciclada e
você terá mais ou menos 25 Kg de adubo
orgânico de primeiríssima qualidade.

Onde colocar a composteira

10. A composteira de engradados de pvc não deve ser colocada
em locais sem ventilação. Não devemos desperdiçar locais
ensolarados com a comnpostagem que dispensa a luz solar;
as plantas sim precisam dela. Os engradados
de compostagem devem ser colocados sobre um suporte que pode
ser desde de um simples e pouco eficiente jornal, até bandejas ou
caixas que possam coletar e canalizar o chorume (líquido que
escorre do composto) completamente. Um bom composto
deve produzir muito pouco ou nenhum chorume. Mas quando regamos
o composto no verão isto é inevitável. Por garantia podemos acomodar
nossos engradados sobre uma bandeja plástica, de metal ou de
madeira, de pelo menos 5 centímetros cheia de brita, cascalho ou
areia bem grossa. O importante é que o composto tenha o
mínimo contato com o chorume.

11. Sofisticando um pouco mais podemos construir um
suporte de concreto ou tijolos e cimento que tenha pelo
menos 40 centímetros de altura e onde possamos encaixar
os engradados. Devemos cuidar para tenha um dreno (furo)
no fundo e então podemos preencher metade da altura com
carvão vegetal (aquele que compramos para fazer churrasco)
e logo por cima despejamos a mesma quantidade
de brita, e por cima da brita acomodamos os engradados.
Desta forma o eventual chorume escorre pela brita até a camada
de carvão onde é desodorizado e ligeiramente filtrado. Evitando
sujeira na sacada ou na área de serviço. Para composteiras
feitas diretamente na terra este problema praticamente não
existe já que o solo absorve o chorume. O que pode ser
compostado e como usar o composto gerado

12. Praticamente qualquer coisa orgânica é passível de
compostagem. Preferencialmente devemos usar os
resíduos orgânicos vegetais crus gerados em nossa cozinha,
os restos de comida podem e devem ser compostados,
porém devemos lembrar que o sal pode diminuir a qualidade
de nosso composto tornando-o mais salino do que o conveniente.
Pensando ecologicamente o certo é não termos restos de
comida, um pouco de organização pode evitar desperdícios e
viabilizar a prática da compostagem domiciliar
de forma totalmente eficiente. Mas quando não conseguimos comer
tudo o que preparamos o destino mais adequado para os restos
de comida é a composteira. Ossos podem ser
compostados, principalmente os cozidos. Já a carne crua não
é o melhor material pois pode cheirar mal dentro da composteira.
O jornal e outros papeis velhos podem ser usados sem problemas, mas
devemos lembrar que o jornal limpo se presta muito mais para a
reciclagem (fabricação de um novo papel)
do que para a compostagem. Então devemos usá-lo com sabedoria.

13.
A compostagem de resíduos sanitários (papel higiênico,
fraldas, absorventes,...) fica reservada para
experts em compostagem, quem sabe um dia!

14. Após o composto estar pronto você pode usá-lo em
suas flores, folhagens, hortaliças e temperos.
Aplique de acordo com a necessidade de cada espécie
de planta. Samambaias em geral e folhagens tropicais gostam
de doses bem fartas de composto, algo em torno de um quarto
do volume do vaso ou da floreira. Devemos repor um pouco de
composto na superfície a cada estação, e depois de um ou
dois anos é melhor refazer tudo (esta recomendação não vale para
todas as plantas). Em gramados podemos usar até cinco quilos por
metro quadrado no final do inverno e nas violetas no início de
cada estação devemos aplicar na superfície da terra
uma colher de sopa bem cheia de composto, misturada com uma colher
de cafezinho, de farinha de osso (faça a sua com cascas de ovo ou
compre uma de boa qualidade). Vale lembrar que plantas aromáticas
gostam de solos bem drenados e com pouco composto (use a farinha
de osso nestas plantas também).

15. Um engradado de pvc é capaz de compostar o resíduo orgânico
gerado por até três pessoas. Para uma família maior é só
aumentar o número de caixas. É preferível fazer duas pilhas de
engradados do que empilhar muitos. Se a família dispõe de
um pátio com terra poderá optar por um modelo
mais convencional de composteira feita de tijolos ou madeira.
Tijolos bem empilhados podem gerar uma ótima
composteira mas por segurança podemos uní-los com
cimento ou barro bem amassado. Composteiras de
quintal devem ser feitas uma ao lado da outra formando
compartimentos que vão sendo preenchidos com
resíduos orgânicos um de cada vez. Assim, as minhocas vão
reciclando o material a cada compartimento
preenchido, seguindo o mesmo procedimento anterior.

Ensine para as crianças e também para seus amigos que
a compostagem domiciliar é uma continuidade da separação
do lixo, e coopera com a coleta seletiva para
a diminuição dos aterros sanitários e lixões. No composto as
crianças poderão aprender muitas coisas sobre a natureza com
os muitos tipos de pequenos animais e fungos que
surgirão junto com as minhocas. Os ácaros, tatuzinhos, besouros,
pequenas aranhas e tantos outros animais do composto são
essenciais para este processo, eles formam um
pequeno ecossistema que vai se equilibrando com o tempo.
Até as formigas ajudam quando não estão em
excesso. Como podemos ver a compostagem é uma prática
interessante, viável na maioria dos espaços,
e (por que não dizer?) um ato de cidadania, especialmente quando
fazemos isto pensando em todo o nosso lixo orgânico que ao invés de
feder e poluir vai gerar mais verde e mais vida. Não é incrível termos
um pequeno ecossistema dentro de casa? Boa sorte!

Alexandre de Freitas
Fundação Gaia - Brasil

http://www.fgaia.org.br/





terça-feira, 11 de agosto de 2009


Horta Caseira

( fonte img. : http://www.ecoblogs.com.br/2008/05/15/horta-em-casa/ )

Nada melhor do que, na hora de fazer comida, utilizar ervas frescas, além do sabor ficar muito melhor, ainda nos beneficiamos dos nutrientes da planta fresca.

Aqui estão algumas dicas de como montar uma horta em um apartamento (ou espaços pequenos), no próximo post colocarei dicas para fazer compostagem. A compostagem , para quem não sabe, é a reciclagem de materiais orgânicos, que após decompostos e com os cuidados certos, podem virar um ótimo adubo orgânico para ser utilizado na horta, ou em qualquer planta.


Como montar uma horta em apartamento?

A primeira coisa é escolher onde ela será montada e garantir que seja instalada num local ensolarado. Cuidados com a preparação da terra, a seleção adequada das culturas e a boa manutenção também são essenciais

Confira abaixo o passo-a-passo para a sua horta vingar.

1. Escolha do local
As hortaliças precisam receber, no mínimo, cinco horas de luz solar por dia. Por isso, o ideal é instalar a horta na varanda ou junto à janela. Prefira locais que recebem sol pela manhã.

2. Onde plantar?
Em qualquer vasilhame, de jardineiras a jarros (com volume mínimo de 1 litro) até canos de PVC (de 30 cm de diâmetro) cortados ao meio. Dá para usar também garrafas PET de 2 litros (cortadas acima da metade) ou carrinhos de mão. É preciso sempre furar embaixo para a drenagem da água.

3. Preparo do solo
Melhor comprar terra pronta, com matéria orgânica, nitrogênio, fósforo e potássio, aconselha o técnico agrícola Adejar Gualberto Marinho, da Embrapa Hortaliças. “O ideal é que a terra tenha pH 6. Se o solo for ácido demais, as plantas não vingarão”, afirma.

4. Seleção das culturas
Opte por hortaliças com raízes curtas, como alface, coentro, cebolinha, salsa, pimentão e couve-folha, ou até frutas de pequeno porte, como tomate-cereja e morango. Vegetais de raízes longas, como cenoura, rabanete e mandioquinha, não se adaptam bem a solos pouco profundos

5. Cuidados no plantio
A plantação começa com sementes ou mudas, dependendo da cultura. Pesquise o espaçamento ideal de cada planta para que ela cresça plenamente. Um pé de alface, por exemplo, deve ser plantado a 20 cm dos demais, enquanto para tomate e couve a distância sobe para 35 cm.

6. Rega e manutenção
No início, regue três vezes por dia até que a semente germine ou a muda pegue. Depois, basta uma rega diária, de preferência pela manhã. Retire plantas invasoras e proteja a horta de insetos, principalmente borboletas. Seus ovos viram larvas, que se alimentam das plantas.

Fonte: http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/casa/conteudo_411077.shtml

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Ser saudável em tempo de crise

É possível ser ecológico, fazer uma alimentação saudável e ainda poupar dinheiro.
Reduzir, reciclar, reutilizar é a melhor máxima a seguir no que toca a proteger o ambiente. Isto aplica-se a tudo, desde o seu local trabalho, à sua higiene, ao jardim e até à cozinha.
Numa época em que tanto se fala de crise nas famílias portuguesas, nada melhor do que ter em conta algumas dicas para não só poupar o ambiente, mas também para poupar na carteira. E o melhor de tudo é que ainda conseguirá uma alimentação mais saudável.

  • Aproveite talos de couves, brócolos, couve-flor e alfaces. Use também as folhas das cenouras e dos rabanetes. É um desperdício deitá-los fora, use-os na sopa ou estufados, ou ainda em cru cortados em pequenos pedaços nas saladas.

  • Se usar fruta e legumes biológicos, pode aproveitar as cascas da maioria. As cascas dos legumes não biológicos podem conter pesticidas usados na sua produção, por isso convém lavá-los muito bem antes de os utilizar. A curgete e a cenoura muito bem lavadas podem ser usadas com casca. A casca da laranja e do limão servem para reconfortantes infusões ou para apaladar alguns pratos.

  • Não deite fora a água em que coze os legumes. Use-a para a sopa ou para cozer o arroz.

  • A água de cozer batatas ou massa também pode ser usada para fazer pão, juntar à sopa ou simplesmente para regar as plantas.

  • Não deixe a fruta estragar-se. Quando estiver muito madura, prepare batidos, purés, gelatinas vegetais ou faça compotas. A maioria da fruta também pode ser congelada.

  • Aproveite pão duro para fazer pão ralado ou açorda.

  • Faça patés vegetais em casa, aproveitando restos de legumes.

  • Torne o seu sal, azeite e vinagre aromáticos. Junte-lhes ervas aromáticas secas, tais como orégãos, tomilho, alecrim, ou alho, por exemplo.

  • Não deite fora comida. Reinvente receitas com os restos de comida. Resto de arroz dá um excelente empadão, sobras de batatas ou outros legumes cozidos pode usar na sopa, restos de estufados use para recheio de rissóis. Em alternativa, pode também congelar a maioria dos alimentos e consumir num dia em que tenha menos tempo para cozinhar.

  • Faça mais refeições com alimentos crus. Irá poupar muito gás, e a sua saúde também agradece, além de que fica com mais tempo para a família.
  • Desligue o forno ou o gás 5-10 minutos antes da comida estar pronta. O calor irá acabar por cozinhar os alimentos. Se usar uma chapa difusora, para além de distribuir melhor o calor da chama durante a cozedura, mantém esse calor por mais tempo quando desligar o fogão.

  • Cozinhe maiores quantidades e congele ou guarde no frigorífico. Por exemplo, pode fazer uma grande panela de sopa e congelar metade.

  • Plante as suas ervas aromáticas. Com 2 ou 3 vasos, conseguirá uma boa variedade de plantas e não precisará de comprar molhos de ervas aromáticas, que muitas vezes nem consegue gastar todos, antes que se estraguem.

  • Aproveite as plantas espontâneas que nascem na horta ou jardim: beldroegas, hortelã, camomila, dente-de-leão. Use-as em saladas ou em infusões.

  • Compre produtos a granel e em embalagens grandes. Por exemplo, compre garrafões de azeite em lagares ou cooperativas e guarde-os em lugares escuros e frescos para não rançarem.

  • Não compre produtos caros e desnecessários para desinfectar fruta e legumes, use simplesmente umas gotas de vinagre misturadas na água para lavar brócolos, couve-flor ou alface.

  • Faça o seu próprio leite de soja, tofu ou iogurtes.

  • Cozinhe em panela de pressão ou a vapor. A cozedura é mais rápida, saudável e usa menos água.

  • Aproveite a água de lavar os legumes para regar as plantas. O ideal é ter sempre debaixo da torneira do lava-louça uma taça grande onde vai recolhendo água.

    Fonte:

    Copyright Centro Vegetariano. Reprodução permitida desde que indicando o endereço: http://www.centrovegetariano.org/Article-520-Ser%2Bsaud%25E1vel%2Bem%2Btempo%2Bde%2Bcrise.html

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Olha que matéria boa essa. Quem não gosta de uma cervejinha?? rs...E se for aprovada pelos médicos então... Esse estudo realizado por especialistas em nutrição de Granada no sul da Espanha recomenda o consumo de cerveja após exercícios físicos.
Vale a pena ler.

29/05/2007 - 18h58

Especialistas recomendam cerveja para reidratar atletas


da Efe, em Granada

A ingestão moderada de cerveja após o exercício físico favorece a reidratação dos atletas sem prejudicar suas capacidades psicocognitivas, segundo estudos de especialistas em nutrição.

A conclusão, que pode parecer um contra-senso, foi apresentada nesta terça-feira por seus autores em um simpósio realizado em Granada, sul da Espanha, com o tema "Cerveja, Esporte e Saúde".

A recomendação foi incluir cerveja na dieta diária dos atletas. Os especialistas ressaltaram as propriedades antioxidantes da bebida, que também favorece o sistema cardiovascular.

Em entrevista coletiva, o cardiologista e ex-jogador de basquete Juan Antonio Corbalán afirmou que a cerveja tem um perfil "excelente", por conseguir uma hidratação eficaz do organismo após o exercício físico.

Segundo Corbalán, o baixo teor alcoólico da bebida é "absolutamente compatível" com o rendimento esportivo de alto nível, "sempre levando-se em conta que a quantidade de cerveja ingerida deve ser adequada à capacidade do organismo de metabolizar o álcool".

Tabu

O cardiologista mencionou a necessidade de eliminar determinados "tabus' em relação ao sumo da cevada, que definiu como "a primeira bebida para o atleta, após a água".

Manuel Castillo Garzón, catedrático de fisiologia médica da Faculdade de Medicina da Universidade de Granada, afirmou que, segundo pesquisas, a ingestão moderada de cerveja não piora as capacidades psicocognitivas dos atletas porque não provoca a perda de campo de visão nem leva a um maior número de erros.

Garzón acrescentou que o consumo da bebida aumenta a tolerância ao esforço físico e reduz o estresse que representa fazer exercícios em condições extremas.

Teste

Para chegar a essas conclusões, o especialista avaliou as capacidades cognitivas e locomotoras de um grupo de jovens que, de forma aleatória, beberam cerveja ou água após fazer esporte em um quarto a 40ºC, situação que favorecia a desidratação.

Castillo Garzón analisou as capacidades dos jovens antes e uma hora e meia depois do exercício. Para isso, usou um sistema especial que mede a reação dos pilotos de caças a determinados estímulos.

O experimento permitiu ao cientista aprovar os benefícios do consumo moderado de cerveja para os atletas.


Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u300657.shtml

domingo, 2 de agosto de 2009

Matéria Retirada do Site Http://www.nutrimais.com

DICAS NUTRICIONAIS PARA ATLETAS

O exercício prolongado realizado em altas temperaturas, leva a redistribuição do sangue para a pele para permitir a adequada evaporação. Conseqüentemente, a fluidez de sangue para órgãos como fígado, rins e intestino é reduzida, prejudicando a absorção do carboidrato e levando a redução na sua oxidação durante o exercício. Isso explica porque a suplementação de carboidrato durante exercícios em altas temperaturas não exerce efeito na performance.


Após um treino de resistência, principalmente longo, procure ingerir alimentos ricos em carboidratos no prazo de, no máximo, duas horas. É nesse período de tempo que a enzima glicogênio-sintetase atinge seu pico, favorecendo a ressíntese de glicogênio e repondo seus estoques no fígado e nos músculos.


Talvez você já tenha ouvido falar de que o excesso de exercícios físicos provoca envelhecimento precoce. E isso é uma verdade. Isso se deve à produção excessiva dos chamados Radicais livres, que são moléculas que contém um elétron não pareado em sua órbita. Exercício físico, estresse, alimentação incorreta e fumo são os maiores causadores dessa produção excessiva. O aumento de radicais livres durante o exercício pode ocorrer pelo aumento no nível de catecolaminas, pela produção de ácido lático, aumento da auto-oxidação da hemoglobina, pela hipertermia e, principalmente, pelo aumento no consumo de oxigênio.
Para neutralizar os efeitos nocivos dos radicais livres no organismo torna-se necessária a ingestão adequada dos nutrientes antioxidantes como vitamina C, vitamina E, betacaroteno, zinco, selênio e manganês. Essa suplementação deve ser realizada por meio dos alimentos, pois, por exemplo, a suplementação sintética da vit C aumenta a oxidação do ácido ascórbico (vit C), não contribuindo para a defesa antioxidante.

Portanto, procure alimentar-se o mais corretamente possível, variando os alimentos e procurando ingerir de tudo um pouco. Lembre-se: quanto mais cores diferentes de alimentos estiverem em seu prato, mais saudável será esta sua refeição!

Em breve mais dicas!

Fonte: http://www.abranufi.com.br/